28
Jul 12

Capítulo 15
Parte 3
 
Estava tão furiosa com toda a gente que voei em direcção à casa de campo.
Assim que fechei a porta atrás de mim, um berro gutural saiu da minha garganta. Não quis saber se na casa branca me iriam ouvir, a verdade, é que assim que aquela porta se fechou, a raiva voltou no seu auge.
Queria fugir, queria desaparecer, nunca mais queria voltar aquela casa, não queria ver mais aquelas pessoas.
Todos ficaram contra mim, todos pensaram que eu ia atacar o meu pai sem razão alguma, toos me julgaram sem saberem as verdadeiras razões.
Tudo aquilo que eles me ensinara, aquilo que defendiam, tudo era mentira. Quer dizer, eles falam das boas maneiras, que não se deve julgar ninguêm, blá blá blá...e eles fazem exactamente o contrário?
Como eu odeio isto tudo, como eu os odeio.
E lá estava, em cima da lareira, aquela caixa de musica que eu tinha construido à dois anos atrás para o aniversario do meu pai.
Num acesso de furia, corri para aquela maldita caixa e parti-a aos bocadinho, dali apenas ficou o pó da madeira.
Dirigi-me para o meu quarto e metade das coisas ficaram destruidas, acho que apenas a cama sobreviveu.
A pouca roupa que eu tinha naquela casa voou em direcção à minha mochila.
Eu ia-me embora e era agora, não estava para aturar aquilo!
Já estava com as mochila pronta quando me lembrei o motivo de ali estar. Eu não podia partir agora, não iria conseguir lidar com a minha consciencia se alguma coisa acontecesse aos Cullen e eu não os tivesse ajudado.
Apesar de ingratos e falsos, eram a minha familia.
Atirei a mochila para um canto do quarto parcialmente destruido e sentei-me no meio dos destroços.
Tinha que me acalmar!
Respirei fundo várias vezes, limpei as poucas lagrimas que tinha no rosto. Agarrei num caderno, numa caneta e numa guitarra, e fiz aquilo que me acalmava quase sempre. Compunha musicas.
Ao fim de algum tempo, a musica estava pronta.
-Não, eu nunca fui, eu nunca fui livre. - cantava enquanto dava os ultimos acordes na guitarra.
A musica estava pronta e adorava-a.
Fiqui ali por uns momentos, encostada à parede com a guitarra na mão simplesmente a olhar pela janela.
O dia tinha sido longo, tinha ido para a praia com o Jake, a Annie e o Seth, depois recebi o video da musica do Jake que toda a familia viu, inclusive o proprio Jake, tive aquele momento de quase sexo com o Jake e por fim esta discussao com a familia,
Uau, o dia não poderia ser mais agitado.
Para piorar tudo, o castigo permanecia e a minha garganta começava a arder com alguma intensidade. Já à algum tempo que não caçava, o meu organismo começava a sentir a falta de sangue.
Isso não era bom para mim e muito menos para humanos que poderiam vir a estar perto de mim.
Imediatamente lembrei-me no meu primeiro dia em Forks apôs o meu regresso, aquele momento com a Sue. Ainda não o tinha relatado a ninguêm e fiquei feliz por a mesma não ter feito comentarios sobre aquele episodio.
Só a lembrança fez o ardor da garganta aumentar.
Estava decidido, queria lá saber das ordens que tinha para aqui ficar no meu quarto, eu iria caçar!
Era perigoso para mim ficar sem a minha dieta sanguinea por muito tempo.
Levantei-me e saltei pela janela. Não me dei ao trabalho de sair pela porta.
Corri pelo meio da vegetação, para o mais longe possivel dos locais com povoação. Não fosse surgir alguma tentação na ementa.
Sabia que os meus pais e companhia iriam ficar alarmados por não me ver em casa, iriam pensar que fugi novamente. No entanto depois de verem a mochila com as roupas iriam ficar mais calmos e furiosos porque desrespeitei as ordens da minha mãe.
A verdade é que tava a cagar-me para aquele tipo de ordens. Já era crescidinha o suficiente para receber castigos e o quê que eles me iriam fazer? Fechar-me a sete chaves em casa?
A verdade é que a cada avanço que tentavamos dar para a nossa relação voltar a ser o que era, no momento a seguir recuavamos o dobro e cada vez a relação ficava pior e pior.
Meu Deus, como ansiava por ter ali algum dos meus amigos. Esperava que o Dio e o Marcello não demorassem muito a chegar.
Sangue!
O odor de um leão chegou ao meu nariz e depois deixei de pensar racionalmente, apenas a caça me importava. Eu era a predadora!
publicado por Twihistorias às 18:00
Fanfics:

8 comentários:
Tadinha da Nessie. è uma incompreendida. Quer dizer estava a tentar defender-se e não a deixaram se quer explicar-se.

Se eu fosse ela arranjava uma casa e saia de la.

Ansiosa pela proxima parte
laurabms a 28 de Julho de 2012 às 19:03

Quem sabe nao me acabas-te de dar uma ideia!!eheheh

Twikisses**
Ana a 28 de Julho de 2012 às 19:13

Ahah eu sou muito boa a dar ideias lol

Twi kisses ;)
laurabms a 28 de Julho de 2012 às 21:05

Que dia Wow! Até parece que ela ia mesmo ficar em casa fechada.
Amei o capítulo
Diana a 28 de Julho de 2012 às 20:07

Aff,coitada da renesmee!nem mesmo o jake faz esforço para entendê-la...Tomara que o Dio chegue logo!
Marcela Thomé a 28 de Julho de 2012 às 21:08

Aff,coitada da renesmee!nem mesmo o jake faz esforço para entendê-la...Tomara que o Dio chegue logo!
Marcela Thomé a 28 de Julho de 2012 às 21:08

Coitada dela.... É incompreendida por todos!
Sarah a 29 de Julho de 2012 às 00:06

Coitada :o A unica pessoa dali que a tenta compreender é o jacob, mas ela não o deixa aproximar-se
Sofia a 30 de Julho de 2012 às 12:43

Julho 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
13
14

17
20

25

29
31


mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

32 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O nosso facebook
facebook.com/twihistorias
Obrigatório visitar
summercullen.blogs.sapo.pt silvercullen.blogs.sapo.pt burymeinyourheart.blogs.sapo.pt debbieoliveiradiary.blogs.sapo.pt midnighthowl.blogs.sapo.pt blog-da-margarida.blogs.sapo.pt unbreakablelove.blogs.sapo.pt dailydreaming.blogs.sapo.pt/ http://twiwords.blogs.sapo.pt/
Contador
Free counter and web stats
blogs SAPO