05
Set 12

 

Mantive-me em silêncio á espera que a reunião começasse. Todos estavam em posições mas ninguém dizia nada, perguntava-me pela décima vez o que ali estava a fazer até que o grandalhão exclamou:

-Devíamos ir ter com os Volturi! - Disse Emmett

- Isso é uma opção a descartar, obviamente. Os Volturi receiam-nos. independentemente de serem considerados ‘reis’ eles também têm os seus medos, e um clã com a dimensão do nosso e com tantos talentos é sempre alvo de receio. Se formos ter com eles com um intuito menos nobre, eles teriam um motivo para tentar nos eliminar.

- Não é isso que eles estão a fazer Carlisle? Não nos declararam guerra, mas tentam eliminar a única fonte de segurança que temos quando estamos a partilhar um território com lobisomens. Isto é o que? Uma oferta de paz? O tratado é a única coisa que nos mantêm vivos e seguros em Forks – disse Edward.

Jasper, que até à altura não se tinha manifestado, pôs-se ao lado de Carlisle e disse:

- As especulações agora não nos levam a lado nenhum. O Carlisle tem razão, os Volturi nunca nos vão facilitar a vida e vão sempre arranjar pretextos para nos tentar separar. Mas o Edward também tem razão, isto é guerra. É uma questão de sobrevivência, nós não podemos desobedecer aos Volturi, mas também não podemos eliminar o contrato com os lobisomens. Mas mais que isso, isto é algo que não nos afecta só a nós.

- Afecta também os cães – disse a Rosalie – tens razão, para decidirmos alguma coisa temos que primeiro conhecer bem as nossas opções. E nós não sabemos o que é que eles fazem se o tratado for eliminado .

-Devíamos falar com o meu Jake – disse a Nessie, levantando os olhos do livro que tinha a sua frente – pode ser que ele nos proteja contra os Volturi, como quando fez para me proteger.

- É uma possibilidade – disse Carlisle sorrindo para a sua neta, surpreendido com a inteligência da mesma numa idade tão precoce.

-Eu acho que é a melhor possibilidade – disse Bella – nós pertencemos a Forks, temos aqui uma vida, não podemos simplesmente abandonar o nosso lar porque o Volturi assim querem. Pode ser que arranjemos uma solução em conjunto com eles.

- Já é tarde. Amanha de manhã vamos falar com eles. Bella, Edward, Alice, gostava que fossem comigo falar com eles. - Declarou Carlisle.

-Eu também vou – disse eu - se me autorizar é claro. Mas acho que seria uma mais valia, ninguém conhece os Volturi como eu.

- Isso é porque tu és um Volturi – disse Rosalie – caso não tenhas percebido não são os nossos melhores amigos neste momento. Porque é que haveríamos de dar a conhecer ao nosso inimigo a única solução que podemos encontrar para ficarmos em Forks?

-Porque é que me chamaram para a reunião se não precisam de nada de mim? - Perguntei diretamente a Carlisle.

- Nós precisamos de ti. Do nosso lado, não contra nós. Sei que ultimamente quase que desligaste o teu talento, mas também já ouvi historias da tua impecabilidade a utiliza-lo. Não te peço que te juntes a nós, porque sei que a tua maior lealdade está para com os Volturi, mas tens dito que não nos vieste nem espiar nem destruir, por isso se o que te levou aqui é alheio à nossa família, gostava de poder contar contigo amanha. Nós vamos falar com eles por volta das 8 horas, se conseguires manter-te fiel aos Cullen, sem trair a família que consideras verdadeira, então és bem vindo a acompanhar-nos.

Era fácil ver a quem é que esta ideia agradava e quais os vampiros presentes que detestavam a ideia de ter um inimigo entre si enquanto lutavam pela sua sobrevivência. Ivy, Esme e Emmett eram os únicos que se mostravam felizes com a proposta do Carlisle. Todos os outros nem tentaram esconder o desapontamento e insatisfação.

Mas a Rose tem razão no que disse. É uma questão de sobrevivência, lutar para ficar no local a que chamam casa, onde a Nessie cresceu e criou laços. E quando muita coisa está em jogo, geralmente jogamos sempre pelo seguro, confiamos apenas em quem sabemos que jamais nos abandonaria. E para os Cullen eu não passava de um Volturi que esta a fazer trabalho de campo. Um vampiro que precisava de um lugar onde ficar e que se ficar debaixo do mesmo tecto que aquela família, pelo menos sempre era controlado o máximo possível. Tratava-se de uma coexistência pacifica e forçada, porque todas as outras opções eram demasiado arriscadas.

A reunião acabou e a família dispersou-se da sala. Fui para o quarto e pensei nas minhas opções. Não sabia desta decisão dos Volturi, nem percebia qual a necessidade de obrigar os Cullen a sair de Forks, porém sabia que havia uma. Os Volturi não fariam nada que não tivesse um objectivo, usualmente que se reflectia em beneficio próprio...

-Posso entrar? - Disse a Alice do lado de fora da porta

- Hum... sim, claro.. – disse meio desconfortável com a vinda de Alice.

 Alice entrou rapidamente, fechando a porta atrás de si. Sentou-se no pequeno sofá que tinha ao lado da estante de livros, ficando do lado oposto ao meu, mesmo ao lado da janela que dava para o exterior e que se encontrava aberta.

-Desculpa ter vindo agora, tenho a certeza que tens muito em que pensar – disse ela rapidamente

-Não faz mal. Posso ajudar em alguma coisa?

-Provavelmente não precisavas que alguém te dissesse isto, mas sinto-me na obrigação de o fazer porque sei que mais ninguém vai faze-lo

- Nunca te tomei como uma mulher que rodeava o assunto adiando a verdadeira questão.

- E não sou – disse ela ligeiramente ofendida – tem cuidado Fred. Nós sabemos que ainda não fazes parte dos Volturi, mas é para com eles que tens a tua lealdade e ninguém tem duvidas acerca disso. Nós não te estamos a pedir para traíres a tua família. Como e que o podíamos fazer quando esse conceito esta mais presente em nós no que nos restantes vampiros? Estamos só a pedir para não nos traíres. Sê sincero Fred. Não só connosco mas também contigo próprio. Acho que nem tu sabes em que lado é que estás. Estas meio dividido entre o amor, talvez paternal, mas amor que sentes pela Ivy e o desejo de pertenceres aos Volturi.

- Sei que és vidente, não sabia que tinhas tirado psicologia Alice. Eu não amo a Ivy, por isso qualquer duvida ou divisão que sinta não passa de uma questão de sobrevivência. Onde estaria melhor e mais seguro, e sem duvida que penso que é nos Volturi, eles podem proteger-me como mais ninguém pode. E neste momento estou a meio de uma missão para eles, completamente alheia à tua família Alice. Não sei o motivo da carta e também não sei porque é que os Volturi querem que vocês saiam de Forks

- Os Volturi querem que saiamos de Forks?

- Tive a pensar nisto acho que não há nenhuma outra razão para o que fizeram... O tratado e o que vos permite estar em Forks em segurança. Que outro motivo haveria para quererem o tratado quebrado?

- Eliminar o nosso clã? Uma possível guerra com os lobisomens que resultaria numa guerra entre eles?

- Os Volturi não deixam o trabalho sujo para os outros, muito menos para criaturas que desprezam.

- Porque é que eles haveriam de querer que saíssemos de Forks? Não faz sentido – disse Alice levantando-se

- Essa é a parte que não sei – disse eu sinceramente

- Sabes se vais amanha?

- Tu és a vidente diz-me tu…

- És um Volturi Fred, nada é certo convosco... Alem do mais eu só vejo que tu decides, por isso a escolha é inteiramente tua.

- Ah, obrigada oh anã – disse eu a rir para a pequena bailarina que estava a minha frente

 Ela ia saltar da janela quando se vira e diz:

- Eu tirei, efectivamente, o curso de psicologia para que conste. E o que eu vejo não é mais que um vampiro que nunca conheceu o que é amor e que gostava de sentir que pertence a algum lugar finalmente. Mas tens que saber que as tuas escolhas e necessidades não podem atingir os outros nem magoa-los. Por isso não deixes que a tua necessidade de pertencer aos Volturi abale a confiança que depositamos em ti quando te convidamos para uma reunião de família.

 O que deve Fred fazer?

A – ir com os Cullen ter com os lobisomens, discutir o futuro da coexistência das duas espécies juntas, assim que o tratado tiver fim

B – ir ter com o Carlisle e dizer que prefere não ir com eles, a ter que os trair posteriormente, caso os Volturi peçam informações

C – ir ter com os Volturi contar as intenções dos Cullen e perceber o porque do des ejo de anulação do tratado entre os Cullen e os Quileute

publicado por Twihistorias às 20:29

3 comentários:
B...ao menos não é sinico!!
leticia a 5 de Setembro de 2012 às 22:53

C.
tixxa a 6 de Setembro de 2012 às 14:14

b
Bella Cullen a 7 de Setembro de 2012 às 13:40

Setembro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
13
14

18
21
22

25
28
29



mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

32 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O nosso facebook
facebook.com/twihistorias
Obrigatório visitar
summercullen.blogs.sapo.pt silvercullen.blogs.sapo.pt burymeinyourheart.blogs.sapo.pt debbieoliveiradiary.blogs.sapo.pt midnighthowl.blogs.sapo.pt blog-da-margarida.blogs.sapo.pt unbreakablelove.blogs.sapo.pt dailydreaming.blogs.sapo.pt/ http://twiwords.blogs.sapo.pt/
Contador
Free counter and web stats
blogs SAPO