06
Set 12

Capitulo 22

O regresso

 

Duas mortes em apenas um dia. Durante os dois anos que passei com os Volturi, nunca matei ninguém. Era preciso chegar á minha terra natal, para começar a andar por ai a assassinar pessoas.

Pelo menos foi em legitima defesa.

 Depois de destruir o que restava do Joan, Renesmee, entrou em casa com Emily. 

- O que é que aconteceu? – Perguntou ela um pouco atordoada.

 Sentei Emily no sofá, e pedia a Renesmee para ir buscar-lhe um copo de água. 

- Está tudo bem Emily. O Steve já não te pode fazer mal,

- Ele morreu? – Pergunta ela a custo, bebendo um ouço dá agua que Renesmee lhe dá.

- Sim. Sim ele morreu. Já está segura.

 Emily começa a chorar desalmadamente.

- Desculpem. – Começa ela. – Obrigada. A sério. Eu não conseguia. Ele… ele fez com que eu lhe obedecesse. Desculpem.

- Pronto. – Renesmee abraça-a. – A culpa não é tua. Agora está tudo bem.

 Passado um pouco, Emily conseguiu explicar-nos a situação.

 

 Joan, tinha chegado á umas semanas atrás. Pelos vistos Emily tinha ido ao supermercado quando o viu. Ele aproximou-se, e começou a falar com ela. A ultima coisa que ela se lembra, é do Joan a usar o seu dom nela. Na altura, as memórias dela eram apenas recordações daquilo que Joan queria que ela visse. E o pior de tudo. Ela esqueceu-se completamente de Sam. Felizmente, ela já está segura. E as memórias voltaram todas.

 Será que as memórias de Aro também voltaram?

 Não iria querer estar lá para descobrir.

 No dia seguinte, despedimo-nos de Emily.

- Obrigada por tudo. Se não fossem vocês, eu…

 Renesmee não a deixa terminar.

- Esquece isso sim? Não aconteceu nada. Nem vai acontecer.

- Obrigada. E obrigada pelo apoio. É bom ter alguém com quem falar.

 Emily não dormiu. Ficou a falar comigo. Tal como eu desconfiava, ela ainda não tinha ultrapassado a morte de Sam.

- Sempre ás ordens. – sorri e despedi-me dela com dois beijinhos.

 Renesmee e eu entramos no avião rumo a Itália.

 Depois de um dia a reviver memórias, estava na hora de voltar para “casa”. Renesmee aguentou-se bastante bem. Viu a mãe matar dois vampiros, e não se foi abaixo.

- Estou muito orgulhosa de ti filha.

- Eu não fiz nada mãe. Tu é que salvaste o dia. – Disse ela com um sorriso.

 Finalmente aterramos em Itália. Era tão mau voltar, depois de um dia tão magnifico. É com acordar depois de melhor sonho da nossa vida.

 Mal conseguimos entrar no castelo, já Demitri estava á nossa espera.

- Como é que foi a viagem? – Perguntou ele com um grande sorriso, enquanto nos acompanhava até ao interior do castelo.

- Normal. Respondi eu com indiferença.

- Por favor. Vocês voltaram á vossa terra natal. Alguma coisa tem de ter acontecido.

 Virei-me para ele.

- Sem ofensa Demitri. Mas não apetece falar sobre isso. – Disse. Ele olhou para mim. Parecia que o tinha magoado. Mas não podia pensar nisso naquele momento. Tinha muito em que pensar.

- O Aro quer falar convosco. – Anunciou ele. Pelos visto a reflexão tinha de ficar para mais tarde.

- Mas porque? – Perguntou Renesmee dando sinal de si.

- Não sei. Deve querer saber como correu a viagem.

 Num ápice já estávamos no salão já meu conhecido. Apesar de agora me parecer mais desconhecido que sempre.

 A voz de Aro deu-nos as boas vindas.

- Bella, Renesmee. Já tínhamos saudades vossas. – Algo na sua voz me dizia que se tivéssemos morrido lá, a única coisa que iriam sentir falta eram dos nosso talentos.

- É bom voltar a … casa. – A ultima parte saiu-me a custo.

- Imagino. Renesmee, querida. Que tal vires dar um abraço ao avô?

 Avô? AVÔ? Mas donde é que saiu a o avô? Aro não era, nem nunca será avô de Renesmee. Mas a mim ele não me engana. Há uma razão para ele ter chamado só Renesmee. E todos nós sabemos qual é. Aquele abraço era apenas o diário em vídeo dele. Todo o que vivemos nestes últimos dias, iria estar na possessão de Aro em poucos segundos.

 Renesmee, avançou em direcção a Aro em camera lenta. A visão de Aro com os braços abertos prontos para um abraço, era algo que não se via todos os dias. Mas Renesmee entrega-se aquele abraço com convicção. Ela interpreta o seu papel na perfeição.

 A expressão de Aro ia mudando. Surpresa, irritação, sarcasmo….

 Quando se separaram, Renesmee quase correu na minha direcção.

- Minhas, caras, amigas. Principalmente tu Bella. Eu estou tão orgulhoso de ti. Finalmente mataste um dos nossos, - Ao ver o espanto na sala, Aro acrescentou. – Não por diversão meus caros. A Bella nunca faria isso. Foi em legitima defesa. O primeiro… – Aro foi interrompido por Caius.

- O primeiro? Mas ela andou para ai a chacinar todos os que lhe aparecessem á frente.

 A minha vontade, era arrancar-lhe o pescoço ali mesmo. Mas isso não seria bom para ninguém. A não ser para Caius, já que lhe estava a fazer um favor.

- Deixa me continuar irmão. – Pediu Aro. – Uma vampira chamada Maria, ameaçou a segurança das nossas meninas. E a Bella, como grande protectora que é, defendeu a sua gente,

- Ela é mesmo genial. – O comentário surgiu de Demitri. Claro.

- Demitri, eu aceito a tua paixoneta pela Bella. Mas por favor guarda os comentários para ti! – Exclama Caius já exaltado.

- Clama. A juventude apaixonada é uma das coisa mais bonitas da vida.

 Juventude apaixonada? A saliva já me enchia a boca. Se não fosse a pressão da mão de Renesmee na minha, eu já tinha ido ao pescoço de Caius. E com muito gosto.

- Continuando. O segundo foi o nosso amigo Joan, que esteve aqui á dois anos atrás. A fotocopia de Edward, - O sorriso malicioso de Aro já e estava a por doente. – Ele pelos vistos… não era quem dizia ser.

 Será que Aro não queria dizer que Joan o enganou? O seu orgulho era assim tão forte?

 Eu já não conseguia estar naquela sala.

- Obrigada Aro, Mas eu e Renesmee queríamos descansar da viagem. – Pedi com o meu melhor sorriso.

- Claro que sim, Podem retirar-se.

 Ele já nem precisava de dizer aquilo duas vezes.

 Mas será que a ideia de um vampiro descansar não lhe fazia confusão?

 Tínhamos tanta pressa que fomos a correr para os nossos aposentos.

 Até que Renesmee para de repente.

- Filha? O que se passa? – Perguntei assustada.

 Ela apenas consegue apontar para um vulto á nossa direita.

publicado por Twihistorias às 21:20
Fanfics:

comentário:
achei q elas iriam visitar o billy e a rachel...
marcela thomé a 7 de Setembro de 2012 às 23:01

Setembro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
13
14

18
21
22

25
28
29



mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

32 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O nosso facebook
facebook.com/twihistorias
Obrigatório visitar
summercullen.blogs.sapo.pt silvercullen.blogs.sapo.pt burymeinyourheart.blogs.sapo.pt debbieoliveiradiary.blogs.sapo.pt midnighthowl.blogs.sapo.pt blog-da-margarida.blogs.sapo.pt unbreakablelove.blogs.sapo.pt dailydreaming.blogs.sapo.pt/ http://twiwords.blogs.sapo.pt/
Contador
Free counter and web stats
blogs SAPO