27
Fev 13

Capítulo 32 - June

Tinha acordado há pouco e ainda tomava o pequeno-almoço, quando uma enfermeira entrou no quarto, empurrando o pequeno berço.

- Bom dia Senhora Pattinson, como foi a noite? Sente-se bem?

- Estou bem, obrigada. Um pouco cansada, mas tudo bem...

- Já sabe, qualquer coisa chame! O seu marido deve estar a... – Uma batida na porta interrompeu-a.

- Bom dia! Posso? – Robert entreabrira a porta e espreitava para dentro do quarto.

- Bem, vou deixar-vos... Qualquer coisa é só chamar! – Disse, piscando-me o olho, antes de se esquivar, passando por Rob apressadamente.

Ele aproximou-se da cama e curvou-se, depositando um beijo de bom dia nos meus lábios.

- Como estás amor? Conseguiste descansar?

- Sim, ainda consegui dormir um bocado...

- E esta princesa, portou-se bem? Deixou dormir a mãe? – Disse, abeirando-se do berço e dando um beijo na testa da nossa filha, que dormia com o ar mais sereno deste mundo.

- A enfermeira acabou de a trazer...

- Ela é tão parecida contigo... Ainda estive um pouco com ela ontem e é impressionante... O formato da boca, dos olhos, até o nariz é fino e arrebitado como o teu...

- Ah não é nada! E o meu nariz não é arrebitado! – Disse, fingindo indignação, enquanto cruzava os braços sobre o peito.

- É sim... É o narizinho mais lindo e arrebitado que eu já vi... Não é filhota? – Rob roçou levemente a ponta do indicador no pequeno narizinho da nossa filha e ela respondeu com uma careta e começou a piscar os olhos como que a anunciar-nos que estava prestes a acordar.

Rob depressa retirou a mão, não querendo perturbar o seu sono, mas ela já abria os olhos e deu um pequeno bocejo antes de nos brindar com o sorriso mais lindo do mundo.

- Bom dia minha princesa! Anda cá ao pai... – Disse, ao mesmo tempo que a retirava do berço com o máximo cuidado. – Anna, hoje à tarde se não te importares gostava de ir resolver com o Tom uns assuntos da produtora. Ele pediu-me e...

- Vai à vontade... Também precisamos de descansar as duas, não é bebé?

- Isso já acho difícil... A Lizz vai passar por cá com os meus pais esta tarde...

- Ela já a viu?

- Oh nem imaginas a festa que ela fez... Parece-me que vai ser uma tia galinha...

- Mas isso ela já é! Às vezes quase sufoca o Miguel... O que vale é que ele gosta da atenção...

- Pois, acho que tens razão.

- E, por falar em Miguel... Temos de nos decidir... Marie Clare ou Clare Marie? Ou continuas com a ideia de Mariann?

- Sabes, ontem à noite surgiu-me outra ideia, mas se calhar também não vais gostar...

- Se não me disseres, nunca vais saber se gosto... Vá lá Rob, desembucha!

- Eu tinha pensado em June, mas bem, era só uma ideia...

- June? A Deusa da bondade? A sério?

- Pois, sabia que não era uma boa ideia... Mas não foi por isso... Lembrei-me que foi nesse mês que o nosso amor nasceu... Muito sentimentalista?

Abanei a cabeça e estendi os braços para receber a minha filha que de repente começara a chorar.

- June... – Sussurrei-lhe baixinho, enquanto a embalava. – O que achas? Fazemos a vontade ao pai? – Não sei se foi pelo som da minha voz, mas ela quase engoliu um soluço, parou de chorar e olhou para mim muito séria, como se soubesse que o que eu estava a dizer era importante.

- Então June? A menina gosta? Gosta? – Do nada, ela abriu um sorriso. Era a primeira vez que a via sorrir assim de perto e dava tudo para a ver sempre assim.

- Pronto Rob, ganhaste! A tua filha gosta...

Ele beijou-me e agradeceu com um sorriso, antes de o seu telemóvel tocar o sinal de mensagem.

Robert afastou-se rapidamente e tirou o telemóvel do bolso, lendo a mensagem.

O que quer que fosse que estava lá escrito não o deve ter agradado nada, pois pareceu-me ter feito um esgar de desagrado, espanto ou algo parecido que não consegui entender, mas no momento seguinte já tinha desaparecido e perguntei-me se não andava a imaginar coisas.

- Está tudo bem amor?

- Sim querida, claro que está tudo bem! Vocês estão aqui comigo, estão bem, que mais poderia querer?

- O que se passa? – Perguntei, acenando em direcção ao telemóvel.

- Ah, nada querida... É só trabalho. Mas hoje à tarde fica resolvido. – Respondeu-me, enquanto voltava a colocar o telemóvel no bolso.

- Bem, tenho de dar de mamar à menina... Queres ver?

- Desculpa amor... Vou mesmo ter de ir. Combinei com o Tom no Spago ao meio dia e ainda aqui estou.

- Ok, tudo bem! Vemo-nos logo?

- Claro, meu amor. – Disse e despediu-se de mim e da nossa filha com um beijo na testa.

publicado por Twihistorias às 18:00

comentário:
Own como está babão este papai robert!!
Marcela Thomé a 27 de Fevereiro de 2013 às 21:24

Fevereiro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11
12
14

17
18
19
21
23

25
26
28


mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

32 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O nosso facebook
facebook.com/twihistorias
Obrigatório visitar
summercullen.blogs.sapo.pt silvercullen.blogs.sapo.pt burymeinyourheart.blogs.sapo.pt debbieoliveiradiary.blogs.sapo.pt midnighthowl.blogs.sapo.pt blog-da-margarida.blogs.sapo.pt unbreakablelove.blogs.sapo.pt dailydreaming.blogs.sapo.pt/ http://twiwords.blogs.sapo.pt/
Contador
Free counter and web stats
blogs SAPO