10
Abr 13

 

 

 

Capítulo 6

O inicio de um fim

Os meses foram passando, longos meses de transformação. Eu estava em um processo de transformação, por fora eu havia me transformado em uma verdadeira senhora, quem me visse agora jamais seria capaz de afirmar que eu fui àquela menina frágil e delicada, eu havia me transformado em uma mulher forte e destemida, sempre correta em todas as suas atitudes, firme no seu andar e na sua fala. Mais a maior de todas essas mudanças era a interna, meu coração estava sofrendo uma transformação lenta mais gradual, meu amor por Jacob estava mudando.Eu cuidava dele, não como uma mãe cuida de um filho, mais como uma esposa cuida do seu marido.Meu sogro havia falecido pouco tempo após nosso casamento e isso havia deixado o Jacob arrasado, eu o havia consolado da mesma forma que ele me consolava quando eu era criança.Ele havia assumido os negócios da família, mas nem isso foi razão ou motivo para ele ser menos atencioso a mim.Todo o seu tempo livre era dedicado a minha pessoa, a minha felicidade.Éramos felizes, eu me sentia bem perto dele era como se perto dele eu pudesse voltar a ser uma criança, sem medos ou preocupações.Eu podia voltar a ser frágil e delicada por que seu amor por mim não mudaria.Ele me amava eu podia ver isso através de seus olhos negros.Eu sentia uma necessidade de me entregar a ele por inteiro, sem pensar ou hesitar, mas algo me impedia.Eu estava confusa.

Um dia chuvoso, uma forte tempestade podia se assistir através das janelas, eu estava preocupada com Jacob, ele poderia ficar doente ao tomar essa chuva. Trovoes ecoavam, raios desciam dos céus como avisos, relâmpagos iluminavam a chuva forte que jorrava dos céus. Eu andava de um lado para outro, olhava pela janela a cada poucos minutos, quando avistei ele sobre o cavalo, cavalgando lentamente, eu o vi descendo do cavalo e o entregando a um criado. E ando para casa, eu nem o esperei abrir a porta ela já estava aberta, ele estava totalmente molhado, sua roupa e cabelos pingavam.

- Você é louco?Quer ficar doente tomando uma chuva dessas. - eu disse, o recriminando.

- Não, eu estava na cidade buscando um presente para você. - ele disse e começou a tossir.

- Meu Deus, você ficará doente, vamos você precisa de um banho quente e de roupas secas, depois veremos o meu presente.

Eu subi com ele, ele tomou um banho quente e relaxante enquanto eu pegava roupas secas para ele vestir. Onde ele estava com a cabeça, tomando chuva desse jeito. Eu estava distraída, que nem percebi quando a criada chegou.

- Deseja algo, senhora?- perguntou Laura, Laura era baixinha e fofinha, uma mulher doce e meiga.

- Prepare um leite morno, por favor?- pedi. Ela apenas assentiu e saiu.

Peguei as roupas para Jacob, e levei para o banheiro, ele se vestiu e fomos para o quarto. Sentamos na cama.

- Bom, eu quero te mostrar o que comprei para você. - ele disse com uma voz animada.

- Você realmente é louco, preocupado comigo enquanto poderia pegar uma doença.

- Eu sempre estou preocupado com você, eu prometi a mim mesmo fazê-la feliz.

- Eu estou feliz!- disse, e fique impressionada com a sinceridade de minhas palavras, eu era feliz, muito feliz.

- Espero que goste. - ele me estendeu um embrulho, e o abri e não acreditei no que vi. Era um vestido lindo, de seda, um azul claro como o céu, ele tinha partes trabalhadas, eu não me lembrará de ter tido um vestido tão lindo.

- O que achou?- ele me perguntou.

- É lindo, obrigada. - eu o abracei, e ele retribuiu o abraço. Eu gostava da sensação de quando nos abraçávamos, eu me sentia aquecida e protegida. Eu ouvi uma batida na porta, era Laura trazendo o leite.

Fui até lá e peguei o leite.

- Obrigada. - ela apenas assentiu novamente.

Fui andando em direção à cama e me sentei.

- Tome tudo. - ordenei.

- Não precisa se preocupar comigo. - ele pediu.

- E o mínimo que posso fazer você sempre cuida de mim, eu tenho que cuidar de você. - eu lhe entreguei o leite e ele tomou.

-Eu te amo. - ele me disse, eu gostei de ouvir essas palavras, eu não me lembro de ter ouvido varias vezes alguém me dizendo que me amava, Jacob sempre dizia isso desde que éramos crianças, Isabel também, mas eu nunca ouvi essas palavras da boca de meus pais.

- Eu também te amo. - e era verdade eu o amava. Ele começou a tossir novamente.

- Vamos descanse, amanha estará melhor. - pelo menos e isso que espero do fundo do meu coração.

- Boa noite- ele me disse.

- Boa noite e durma bem. - dei um beijo no seu rosto. Deitei-me na cama e adormeci.

 

Capítulo 7

Adeus. Eu te amo 

Parece que meu desejo não seria atendido, eu queria muito que ele se recuperasse e voltasse a ser aquele homem maravilhoso, sorridente e protetor que ele era. Mas as minhas preces não estavam sendo atendido, cada dia que se passava ele piorava. Ele não sairá da cama, sua febre era alta a ponto de ser delirante, seu corpo mal se movia, sua respiração era lenta, suas crises de tosse eram constante, ele tossia sangue, era tuberculose. Apesar de tomar remédio, sua febre não baixava e sua doença não dava nem um sinal de melhora, a dias eu não via um sorriso brotar em seus lábios.Isso me fazia triste, era como se a doença e o ver definhar sobre meus olhos, me ferisse, como se eu estivesse doente, eu preferia morrer do que ver ele morto.

Eu não sairá do seu lado, somente para tomar banho, e fazer refeições. Todo o meu tempo era dedicado a ele, a sua melhora, eu fazia compressa de água em sua testa, dava seu remédio regularmente e nada. Ele simplesmente não respondia a nada, eu pedia a Deus para que não tirasse ele de minha vida, eu não sei se sobreviveria.Seria injusto tirar ele de mim, logo no momento em que estou amando.

Meu amor por ele, não era algo devastador e intenso, era algo tranqüilo e profundo, algo que me fazia bem, algo que era necessário para mim. Amar, eu sentia a necessidade de amá-lo. Era bom, me sentir amada.

O dia era chuvoso, como o dia em que ele ficou doente, a chuva era forte, trovoes ecoavam pelo céu, eu continuava ao seu lado, segurando a sua mão, sentado ao seu lado na cama, tentando ver alguma melhora. Eu o senti apertando minha mão, forte, como se juntasse todas as forças de seu ser para aquele pequeno ato.

- Jacob?- perguntei, para ver se ele me respondia.

- Me prometa algo?- ele pediu com uma voz rouca, e quase inaudível.

- Prometo o que você quiser, mas descanse. - eu pedi, num tom que mais parecia uma suplica.

- Seja feliz. - ele pediu, ainda com uma voz baixa. Eu senti meus olhos marejarem.

- Eu sempre serei feliz, Jacob, porque sei que estará ao meu lado. Eu te amo. - eu vi um pequeno sorriso brotar em seus lábios. Era a primeira vez que dizia “Eu te amo”, de coração, e por vontade própria

- Adeus. Eu te amo. - ele suspirou uma vez, tombou a cabeça para o lado e eu senti seu aperto se desfazer. Ele havia partido.

Eu senti as lagrimas caírem de me olhos, como as águas de uma cachoeira, eu queria conte-las, mas eu não conseguia por que ela não queria parar. Eu não queria parar. Eu me sentia mal, a única pessoa que eu realmente amei de todo o meu coração, partiu para sempre. Peguei seu rosto em minhas mãos, e acaricie seus rosto, dei um suave beijo em seus lábios e sai.

publicado por Twihistorias às 18:00

Abril 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
12
13

14
15
18
19

22
23
24
27

28
30


mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

32 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O nosso facebook
facebook.com/twihistorias
Obrigatório visitar
summercullen.blogs.sapo.pt silvercullen.blogs.sapo.pt burymeinyourheart.blogs.sapo.pt debbieoliveiradiary.blogs.sapo.pt midnighthowl.blogs.sapo.pt blog-da-margarida.blogs.sapo.pt unbreakablelove.blogs.sapo.pt dailydreaming.blogs.sapo.pt/ http://twiwords.blogs.sapo.pt/
Contador
Free counter and web stats
blogs SAPO