22
Set 11

Boa tarde Twilighters...

 

Infelizmente a razão deste post, não são boas noticias.

 

Como já devem ter reparado, a fic "crescendo" não tem saído semanalmente, originando assim, muitas vezes a dias sem fic. A razão por isso acontecer é-nos alheia, deve-se à falta de capitulos por parte dos autores.

 

Todos os autores foram já notificados, que se se passarem 2 semanas sem nos mandarem um novo capitulo das suas fics ou pelo menos não derem nenhuma justificação para a ausência da mesma, esta será dada como terminada.

 

Como tal, a fic "Crescendo" está dada como terminada!

 

Esperemos que compreendam a situação das administradoras deste blog para tomarem tal iniciativa, se não tivermos capitulo novo para publicar é um dia em branco para o Twihistórias e a credibilidade do blog estará em causa.

 

No entanto, é dado a possibilidade à Tânia de retomarem com a fic, no entanto, agora terá que enviar a fic na totalidade. Apenas para evitar que o sucessido se repita.

 

Não queremos desapontar ou aborrecer ninguém com este comunicado, serve apenas como justificação para que todos os leitores entendam o que se passa.

 

Sem mais nada a acrescentar,

Twihistórias

publicado por Twihistorias às 19:08
Fanfics:

06
Set 11

Capítulo 18

A compra

Jacob

Bem isto não deve ser muito difícil. É só chegar ao supermercado, pegar num pacote qualquer de pensos e bazar... deixa-me cá ver... Abas, sem abas, maxi com abas, maxi sem abas, super-finos com abas... Mas isto é preciso algum doutoramento ou curso especializado para comprar uma simples caixa de pensos higiénicos?!

Vá concentra-te Jacob já deve ser suficientemente idiota um gajo de dois metros com ar de otário na secção feminina do supermercado a comprar pensos higiénicos! Bem se calhar grandes dão jeito, portanto levo os que dizem maxi. Mas afinal o que são abas?! Se calhar levava com e sem abas. Pois é melhor jogar pelo seguro. Já agora quem leva dois leva um de cada e deixo no carro, é só para o caso de não acertar com estes.

Esta fila nunca mais acaba! Estou-me a sentir um perfeito idiota! Afinal de contos qual é o gajo que se diga másculo e completamente fino do capacete que se dirige à caixa de um supermercado com um carrinho cheio de pensos higiénicos! Ao que um gajo se sujeita quando está completamente cego de paixão!

-Boa Dia! – Graças a Deus, é a minha vez! Olhei para a rapariga da caixa  e a sua cara era me familiar, depois de me focar bastante nela, o que não deve ter ajudado para a minha reputação de otário a comprar o stock completo de pensos, lembrei-me. Era Lizzie, a ruiva que encontrei quando fugi da casa dos Cullen, pouco antes da Nessie nascer, era a rapariga que gostava de carro e pensava que eu tinha roubado o Austin Martin do Edward. Provavelmente já nem se lembra de mim. Ela reparou que eu a olhava fixamente e permaneceu a encarar-me.

- Deus! Eu lembro me de ti! Sim és tu! És o gajo do carro roubado?!

- O mundo é pequeno, o mesmo não posso dizer da tua memória, Sou o Jacob, já agora. – Ela sorriu até que olhou para o que eu iria comprar.

- Tas com o período? Ou planeias estoirar a 3 guerra mundial? A julgar pela artilharia de higiene feminina que pertences levar…

- É complicado. – ela começou a passar os códigos de barras. Depois de tudo devidamente pago, despedimo-nos e vim embora.

Entrei no meu pequeno carro e pus apenas um pacote no saco, deixando o resto espalhado pelo assento, não queria assustar a Nessie com a cerca de uma dúzia de embalagens que comprei.

 

 

Capítulo escrito quase na integra por Ana Barros.

publicado por Twihistorias às 18:00
Fanfics:

02
Set 11

Capítulo 17

Telefonema

 

Depois do banho devidamente tomado aguardei de toalha no quarto de Jacob. Cerca de 10 minutos depois ouço a porta da frente ser aberta e fechada.

- Nessie?

-No teu quarto. - respondi.

-Eu trouxe… estes. – disse a ultima palavra quase num suspiro enquanto entrava no quarto. – Espero que sirva, não sou um expert no assunto. – falou com um sorriso enquanto pousava a saca com os pensos higiénicos na cama.

- Vão servir, qualquer coisa é melhor que aquilo - apontei para a aterrorizante caixa de tampões que estava em cima da cadeira da secretária, junto com a roupa. – Vou para a casa de banho. – peguei na roupa e na saca e corri para a casa de banho.

Depois de vestida e protegida voltei para o quarto de Jacob e deitei me ao seu lado na cama.

-Cansada? – perguntou.

-Fugir de um amigo que te quer matar, desgasta qualquer um – a lembrança da realidade fez com que as lágrimas voltassem aos meus olhos.

-Está tudo bem, não vale a pena chorares, ele não vai entrar em La Push. – disse enquanto rodeava a minha cinta com o braço.

-Tudo tem um lado positivo, certo? – disse rindo por entre o choro.

-Isso não sei, mas sei que tens problemas de bipolaridade de certeza. – disse franzindo as sobrancelhas. – de que é que estas a falar?

-Finalmente fizeste o que eu te andava a pedir à meses. – a compreensão apareceu tão depressa na sua face como a vergonha, pois a sua pele morena ficou com uma tonalidade mais rosada.

-Foi necessário. – disse completamente envergonhado. – mas queres falar de coisas embaraçosas, podemos sempre dizer que finalmente és uma mulher. – disse com a sua cara de gozo .

-Mulher o suficiente para o meu pai não se meter entre nós?

-Não fales como se a culpa fosse minha…

-E não é?

-Não vamos começar outra vez a discutir isto. Mudando de assunto, tens de avisar os teus pais que estas aqui.

-O Fred deve ter se encarregado disso. Mas eu vou lhes ligar. – levantei-me da cama e lembrei-me do que o meu avô me tinha dito acerca de ficar aqui nestes dias do meu ciclo. – É verdade, o meu avô pediu para eu ficar aqui estes dias para evitar momentos como os de hoje, espero que não te importes.

-Claro que não me importo. – o espanto estava estampado na sua cara.

-Óptimo. – E lá fui telefonar para os meus pais, motivo, murar com o Jacob 4 ou 5 dias. Acho que não vai correr bem.

publicado por Twihistorias às 18:00
Fanfics:

13
Ago 11

Capitulo 16

Atacada

 

-Porque é que te estás a rir dessa maneira? Está a doer! Será que te importas de ver o que se passa comigo?

-Estás a crescer... - disse emocionado.

-Se crescer dói, prefiro ser criança para o resto da minha vida - resmunguei.

-Senta-te aqui. - Instruiu apontando para a cadeira que ficava de frente da sua secretária. Assim fiz, aguardei ansiosamente que ele começa-se a falar, pois a dor estava a ficar cada vez pior.

-Então... - disse

-Sabes que as raparigas humanas têm um ciclo menstrual, não sabes?

-Oh não! - A compreensão atingindo-me como um raio -Porque é que eu fico sempre com as piores partes do meu lado humano?

-Pior parte? Nessie, se tens a menstruação significa que podes engravidar, isso é uma dádiva! Rosalie vai morder os próprios braços quando souber...- disse a última parte quase num sussurro.

-Tenho uma dúvida... Eu posso engravidar de quem exactamente? Vampiro? Semi-vampiro? Humano?

-Lobisomem? - continuo a minha lista de seres com um sorriso, pois sabia que era esse que eu

realmente queria perguntar.-Eu não tenho ideia, eu nem pensei que fosse possível a tua mãe

engravidar do teu pai, visto que nós temos mais 25 pares de cromossomas e os Humanos 23. Mas sendo que tu tens 24, tanto um semi-vampiro como um lobisomem pode resultar. - Disse com um ar pensativo.

-Os lobisomens também têm 24 pares de cromossomas?

Carlisle afirmou com a cabeça.

- Descobri à muito tempo atrás quando lutamos contra um exercito de recém-nascidos, o pobre Jacob ao salvar a Leah acabou quase partido no meio -abri a boca em espanto - então enquanto tratei dele fiz exames para descobrir mais coisas sobre uma espécie tão fascinante como a dele.

-Carlisle...O que poderia nascer caso...- não acabei de falar, pois Carlisle percebeu.

-Não tenho ideia, mas como Jacob teve o imprinting contigo devido à tua parte Humana, acho que só essa parte lhe pode trazer descendência. Mas é só uma teoria.

-Achas que me podes dar alguma coisa para as dores? É que é extremamente irritante.

-Oh, claro! Desculpa. - Desapareceu como o vento e antes de se passarem 3 segundos completos estava de volta. - Costuma ser um de 12 em 12 horas, mas como o teu corpo é diferente, tenta de 8 em 8.

-Obrigada! -levantei-me e dei-lhe um beijo na bochecha. Tomei um dos comprimidos.

-Nessie...- disse envergonhado.

-Sim?

-Lá porque podes engravidar, não precisas de ter pressa em fazê-lo.

-Avô! - Disse envergonhada

-E já agora, achas que o Jacob te recebe em casa dele nestes dias? O Fred pode não se controlar...

-O meu pai vai preferir fechar-me na nossa casa. Ele tem medo que o Jacob não cumpra a promessa.

-Eu falo com ele.

Assenti. Ao passar pela sala novamente Fred levantou-se e veio em meu encontro, mas parou no meio do caminho. Então senti, tal como ele, o cheiro a sangue quase humano.

Fred puxou o lábio superior para cima deixando os seus dentes expostos.

-Fred! - Ele não respondeu - Hora de fugir!

Saí da mansão com Fred a correr atrás de mim, não era tão rápida como um vampiro, então isso fez com que rapidamente ele me alcançasse. Quando vi que não podia fazer mais nada, apenas fechei os olhos e implorei:

-Fred! Por favor! - Mas não era o meu amigo Fred que estava ali, era um predador sedento e eu era a presa.

Inesperadamente em vez de sentir o peso dele em cima de mim senti algo fofo e felpudo a

Roçar no meu braço. Abri os olhos a medo e ali estava o Jacob.

-Jacob! - Abracei-me ao seu enorme pescoço e comecei a chorar. Quando dei conta, já o abraço era demasiado largo, e senti os braços do meu melhor amigo em volta da minha cintura. Finalmente, depois de tanta insistência, ele destransformou-se à minha frente, mais do que isso, enquanto o abraçava, mas devido à minha choradeira, nem dei conta de como aconteceu.

Tivemos bastante tempo ali, eu aninhada no colo do Jacob a chorar, até Jacob chamar a minha atenção.

-Acho melhor levar-te para minha casa.

Assenti levantei-me rapidamente e limpei a minha roupa com as mãos de costas para o Jacob, dando-lhe um pouco de privacidade. Corremos de mãos dadas até La push, como sempre fazíamos, ao lá chegar pedi a Jacob para ir tomar banho devido ao meu estado de "mulher". Ele sorriu ao ver a mancha escura nas minhas calças. O que fez com que a minha cara vira-se um tomate de tão vermelha.

-Eu vou ver se encontro alguma coisa no quarto de Rachel. - Entrou lá e voltou com umas calças, uma t-shirt e uma roupa interior. Em cima da roupa estava a temida caixa. Em vez de pensos eram tampões.

-Nem pensar!

-Não há mais nada cá em casa - disse a rir-se da minha cara.

-Não queres ir comprar? - Tentei enquanto fazia beicinho.

-Estas a pedir que eu vá buscar pensos para ti? - O sorriso de outrora desapareceu e em seu lugar estava uma cara de choque.

-Anda lá, por favor!!!

-O que eu passo meu Deus! - Falou para os "céus" - Ok! Tens alguma preferência?

-Sei lá, isto nunca me aconteceu...

-Boa! - Suspirou - Eu já volto, vai tomando banho.

publicado por Twihistorias às 23:50
Fanfics:

16
Jul 11

Curiosidade

 

O sol bateu-me forte na cara, o que me fez despertar. Depois de tomar um banho e me vestir, decidi ir falar com o meu pai acerca da ida do Fred para a escola. Antes mesmo que eu saísse do quarto, ele já estava na porta.

- Queres falar comigo?

- Que ideia é essa do Fred vir comigo para a escola?

- Não o podemos continuar a esconder em casa…

- Ele não está preparado – interrompi-o. E deixei a imagem da reacção do Fred ontem à noite passar pela minha cabeça.

Depois de meditar, o que me pareceu horas, ele finalmente, com pouca vontade, diz:

- Tens razão – isso fez crescer um sorriso vitorioso na minha cara. Mas rapidamente me lembrei que ele podia mandar outra baba atrás de mim.

- Não posso pôr mais ninguém atrás de vocês os dois.

- Acho que não é necessário – bufei – por tua culpa o Jacob quase que não fala para mim. – acusei-o.

- Ah estas hormonas! Custa tanto esperar até cresceres o suficiente?

-Custa tanto deixares de me ver como uma menina? – retorqui.   – Onde está a mãe?

- Na casa grande. – respondeu sem realmente prestar atenção. Os vampiros conseguem pensar em várias coisas ao mesmo tempo, e era isso que ele estava a fazer, parte do seu cérebro respondeu à minha pergunta enquanto que a outra parte, a maior parte, diga-se de passagem, estava a pensar

- Vou para lá, tu também?

- Não, mas diz à tua mãe que eu preciso de falar com ela… - disse saindo do transe.

- Vampiro esquisito… - sussurrei já na porta de casa.

- Eu ouvi isso! – consegui escutar.

Corri para casa dos meus avós, rapidamente passei pela porta de entrada.

- Bom dia!

- Bom dia! – responderam todos.

- Bom dia monstrinha – disse o sempre alegre Tio Emmett que descia agora as escadas. Deitei-lhe a língua de fora como resposta, o que só o fez rir da minha cara.

- Nessie, meu amor – disse Bella vindo me abraçar – não ligues para ele.

- Nunca se deve levar a mal as crianças. – Todos riram da minha intervenção. – Bom, agora, a sério, o pai pediu para ires ter com ele a casa. – Bella levantou a sobrancelha questionadoramente.

- Porque não me veio ele chamar?

- Não tenho ideia, mas ele entrou em algum tipo de transe muito estranho, eu quase que ouvia as engrenagens do seu cérebro a funcionarem.

- Eu vou lá então.

Olhei minha mãe se distanciar a caminho da nossa casa enquanto me questionava acerca do que eles iam falar. Só espero que não sejam problemas…

- Monstrinha?! – berrou Emm como uma criança mimada

- O que é?

- Vamos jogar na consola… - implorou

- ok

Não estava a prestar atenção em nada do que se passava na tela, a minha cabeça estava a pensar em tudo o que se tinha passado. Eu era o imprinting de Jacob, sendo assim, estava destinada a ele. No entanto o meu pai não me deixava “ficar” com ele enquanto fisicamente não atingisse a maior idade, como se ele tivesse esperado pela dele para se casar com a minha mãe. Bufei. Uma pequena dor surgiu no meu abdómen. Fiquei assustada, não que a dor fosse muita, mas porque eu nunca tive nenhum tipo de dor. Soltei rapidamente o comando e segui para a biblioteca onde estava Carlisle.

-Ei, monstrinha! Volta aqui! – ouvi Emm gritar.

- Carlisle…

- Nessie? Estas bem? – perguntou preocupado.

- Doi-me aqui – apontei para o fundo do meu ventre – nunca me tinha doido nada antes.

Carlisle apenas sorriu como se a dor chata que eu sentia fosse motivo de felicidade.

publicado por Twihistorias às 18:00
Fanfics:

25
Jun 11

Capítulo 13

Ver o que não devia

 

Sempre que eu chegava da escola, o meu pai vasculhava na minha cabeça à procura de algo, mas depois da discussão no exterior da minha casa, o Jacob não voltou a me beijar e parecia que fugia sempre que eu tentava, então não havia nada para encontrar.

Já se haviam prolongado várias semanas até ao momento em que tomei tal decisão. O meu comportamento tinha sido exemplar até ao momento, então os meus pais deixaram-me ficar sozinha em casa enquanto eles tinham ido caçar, só voltariam na manha seguinte.

Já eram 11:30 da noite quando passei pela janela do meu quarto (não queria que meu percebesse que eu tinha saído quando, à chegada, sentisse o meu cheiro na entrada) e corri silenciosamente na direcção oposta à da casa dos meus avós, rumo a La Push. Só abrandei o passo quando passei a fronteira e sabia que ninguém conseguiria me alcançar.

Rapidamente vi a pequena casa vermelha, entrei pela janela do quarto e arrependi me rapidamente. Jacob estava a completamente despido à procura de alguma coisa nas gavetas da sua cómoda. Tantas vezes lhe tinha pedido que se “destransformasse” na minha frente e ele sempre negava devido ao facto de eu o ver nu. Acho que ele não poderia usar mais este argumento.

- UPS! – Disse virando me de costas

- Rennesme? O que estás aqui a fazer?

- Podes… vestir alguma coisa? – Tentando, em vão, disfarçar a vergonha que sentia.

- Claro, claro. – Ouvi-o indo rapidamente para o guarda-roupa e vestir uns boxers e uns calções. – Já está!

- Graças a Deus! Tinha tantas saudades tuas! – Berrei abraçando-o com muita força.

- E eu tuas! – Disse apertando me ainda mais naquele abraço de urso. – Como é que vieste aqui parar?

- Os meus pais foram caçar e só voltam amanha pela manhã, então eu fugi de casa.

- Tu és doida – sorriu – vai ser pior quando ele descobrir.

- Ele não vai descobrir!

- Espero bem que não – sussurrou, arrepiando-me.

- Tu estás diferente… - ele olhou para mim sério – Já não falas para mim como falavas antes…

- Não sei do que estás a falar! – mentiu enquanto se desenvencilhava dos meus braços e se sentava na cama.

- Sabes bem do que estou a falar, desde que o meu pai me pôs de castigo, tu nunca mais me tocas-te como naquele dia.

-Eu não posso, o teu pai pediu para esperar até os teus 18 anos – disse tristonho.

- O que?

- Os físicos 18 anos! Rennesme, não faças essa cara, quanto tempo falta? Meio ano?

- Não consigo acreditar! – As lágrimas começaram a escorrer, já à uns dias que ando demasiado sentimental.

- Nessie… Senta aqui. – Apontou para o lado da sua cama. Sentei me sem fazer fita e rapidamente aqueles braços quentes que eu tanto adorava estavam à minha volta. – É por pouco tempo, e depois o teu pai não nos vai poder chatear mais.

 

Capítulo 14

Novo Aluno

 

Eram 5 da manha quando voltei para casa, entrei silenciosamente pela janela do meu quarto quanto vejo Fred sentado na minha cama.

- Acho que foi uma saída ilegal – constatou rindo-se

- Por favor não contes ao meu pai… - implorei

- Claro que não, vou tentar nãos pensar nisto.

- Obrigada, mas diz lá, o que vieste aqui fazer?

- O teu pai quer que eu comece a ir convosco para a escola

Abri a boca em choque, ele não estava preparado para enfrentar uma escola cheia de humanos, eu própria tinha certa dificuldade em faze-lo.

- Mas, tu não estas preparado…

- Eu sei, e eu não vou, acho que foi apenas uma forma que o teu pai arranjou de ter certeza que tu e o Jacob não andavam juntos na escola.

-Ele não precisa se preocupar com isso, o Jacob está a levar tudo muuuito a sério – bufei

-O que é que se passou?

Aproximei-me dele a uma velocidade acima da humana, o que despertou o seu instinto de defesa. Fred colocou-se  em posição de ataque e eu senti uma grande náusea.

- Deus, não faças isso, vou vomitar. – Desviei o olhar e a náusea foi passando gradualmente. – Preparado, o meu pai disse que estavas preparado? – Gradualmente voltei a olha-lo.

- Desculpa – disse saindo devagar da sua posição para voltar à inicial, sentado na minha cama – Eu odeio ser assim…

- Não tens que pedir desculpas, apenas relaxa… - caminhei muito lentamente para o seu lado na minha cama, estiquei o meu braço e mostrei tudo o que se tinha passado na casa de Jacob.

- Ele leva as coisas a sério, mas pensa bem, daqui a nada estás fisicamente adulta - repreendi-o com o olhar – não estou a dizer que não o pareças… Mas, pronto, e aí o teu pai não se vai intrometer. Já te poses-te no lugar dele? Tu cresceste muito depressa, na verdade continuas crescendo…

- Eu sei, só me resta esperar, não é? – suspirei – tenho sono  -deitei me.

- Vou te deixar dormir.

Ele deixou-me sozinha, e depois de um banho deitei-me na minha cama e entreguei-me ao sono, teria muito que conversar com o meu pai no dia seguinte.

publicado por Twihistorias às 18:00
Fanfics:

09
Jun 11

Capítulo 13

Ver o que não devia

 

Sempre que eu chegava da escola, o meu pai vasculhava na minha cabeça à procura de algo, mas depois da discussão no exterior da minha casa, o Jacob não voltou a me beijar e parecia que fugia sempre que eu tentava, então não havia nada para encontrar.

Já se haviam prolongado várias semanas até ao momento em que tomei tal decisão. O meu comportamento tinha sido exemplar até ao momento, então os meus pais deixaram-me ficar sozinha em casa enquanto eles tinham ido caçar, só voltariam na manha seguinte.

Já eram 11:30 da noite quando passei pela janela do meu quarto (não queria que meu percebesse que eu tinha saído quando, à chegada, sentisse o meu cheiro na entrada) e corri silenciosamente na direcção oposta à da casa dos meus avós, rumo a La Push. Só abrandei o passo quando passei a fronteira e sabia que ninguém conseguiria me alcançar.

Rapidamente vi a pequena casa vermelha, entrei pela janela do quarto e arrependi me rapidamente. Jacob estava a completamente despido à procura de alguma coisa nas gavetas da sua cómoda. Tantas vezes lhe tinha pedido que se “destransformasse” na minha frente e ele sempre negava devido ao facto de eu o ver nu. Acho que ele não poderia usar mais este argumento.

- UPS! – Disse virando me de costas

- Rennesme? O que estás aqui a fazer?

- Podes… vestir alguma coisa? – Tentando, em vão, disfarçar a vergonha que sentia.

- Claro, claro. – Ouvi-o indo rapidamente para o guarda-roupa e vestir uns boxers e uns calções. – Já está!

- Graças a Deus! Tinha tantas saudades tuas! – Berrei abraçando-o com muita força.

- E eu tuas! – Disse apertando me ainda mais naquele abraço de urso. – Como é que vieste aqui parar?

- Os meus pais foram caçar e só voltam amanhã pela manhã, então eu fugi de casa.

- Tu és doida – sorriu – vai ser pior quando ele descobrir.

- Ele não vai descobrir!

- Espero bem que não – sussurrou, arrepiando-me.

- Tu estás diferente… - ele olhou para mim sério – Já não falas para mim como falavas antes…

- Não sei do que estás a falar! – mentiu enquanto se desenvencilhava dos meus braços e se sentava na cama.

- Sabes bem do que estou a falar, desde que o meu pai me pôs de castigo, tu nunca mais me tocas-te como naquele dia.

-Eu não posso, o teu pai pediu para esperar até os teus 18 anos – disse tristonho.

- O que?

- Os físicos 18 anos! Rennesme, não faças essa cara, quanto tempo falta? Meio ano?

- Não consigo acreditar! – As lágrimas começaram a escorrer, já à uns dias que ando demasiado sentimental.

- Nessie… Senta aqui. – Apontou para o lado da sua cama. Sentei me sem fazer fita e rapidamente aqueles braços quentes que eu tanto adorava estavam à minha volta. – É por pouco tempo, e depois o teu pai não nos vai poder chatear mais.

publicado por Twihistorias às 18:00
Fanfics:

20
Mai 11

Descoberta

 

Estava me a sentir tão feliz, finalmente sabia o que Jacob estava a esconder de mim e o significado da palavra, agora amada, impressão. Mas por outro lado o meu pai vai ficar uma fera quando descobrir…

Antes de chegarmos a casa Jacob disse para tentar não pensar no que se tinha passado, mas estava tão complicado que mal cheguei a casa e vi a cabeça do meu pai à janela tudo voltou para a minha cabeça.

Ele não deu tempo nem para pensar direito no que estava a acontecer. Do nada a porta do carro abriu e fui puxada para fora.

- Lá para dentro, agora! – disse o meu pai com tanta raiva que fiquei com medo.

- Pai…

- Reneesme vais lá para dentro, estás de castigo e só sais para ir à escola.

- Pai, eu não fiz nada!

- Nada? Já lhe ouvi chamar de tudo, mas agora nada.

O Jacob já tinha saído do carro sem eu me aperceber.

- Edward, não sejas estúpido

- Estúpido? Tu é que queres estar com uma menina que não tem sequer 10 anos de idade!

- Tu sabes que não é assim… Ela está física e mentalmente com a minha idade, qual é o problema? Sentimos o mesmo um pelo outro.

- Como é que ela pode sentir o mesmo por ti? Ela é uma criança!

-Pai, eu amo-o! – disse revoltada – e não sou mais uma criança!

- Já te mandei para dentro – não me mexi. – ou queres que eu te arraste para dentro?

Atirei um beijo para Jacob, e ele retribuiu enquanto meu pai rosnava. Entrei em casa e não estava lá ninguém. Os berros do meu pai acalmaram e eu percebi que ele agora viria falar comigo e pôr-me de castigo até os meus 150 anos.

- 200! – Disse entrando de rompante pelo meu quarto. – Minha menina, estás proibida de ver o Jacob fora da escola e de sair seja lá com quem for. A tua vida vai ser escola-casa, casa-escola e só sais para casar uma vez por semana.

- Na verdade eu estou de castigo porque?

- Porque andas-te enrolada com o Jacob desde ontem!

-Eu não andei enrolada com ninguém!

- Não foi o que pareceu, vocês dormiram na mesma cama – disse raivoso.

-Porque eu adormeci nela, apenas por isso.

- Seja como for, até aos teus 200.  

publicado por Twihistorias às 18:00
Fanfics:

05
Mai 11

A discussão

 

Depois de contar tudo o que eu sentia para a Rachel voltei para dentro da pequena casa vermelha. Jacob já tinha saído com o seu pai da casa de banho, muito apressadamente entrei para lá sem fazer contacto visual com o ele. Depois de um banho rápido pedi-lhe para ele me levar para casa. Pairou um silencio desconfortável no carro até que Jacob decidiu parar e falar:

- Não vais falar para mim?

- Porque não falaria? – disse como se não soubesse do que se tratava.

- Tu sabes do que eu estou a falar.

- Não aconteceu nada…

- Mas querias que acontecesse?

- Não estás apaixonado por uma rapariga qualquer?

- Por favor Rennesme, não respondas às minhas perguntas com outras perguntas. – Olhei-o com aquela cara de Serial Killer.

- Que queres que responda Jacob Black? – gritei.

- A verdade!

- Porque haveria de fazer isso? Nunca me contas te a verdade toda. 

- O teu pai não me deixa contar a verdade toda.

- E porque tens sempre que fazer o que o meu pai te diz?

- Queres a verdade? Aqui vai. - Disse com raiva. -Eu estava apaixonado pela tua mãe quando ela estava grávida de ti. – A informação chocou me de tal forma que não consegui responder, ele prosseguiu – Tu nasces-te e eu tive um imprinting. Tu passas-te a ser a coisa mais importante da minha vida – disse já calmo olhando a estrada – Já não é a gravidade que me prende ao planeta, és tu. – Suspirou – Não existe rapariga nenhuma, era de ti que eu estava a falar no outro dia escola.

Ele esperou que eu respondesse, na verdade a cara dele mostrava que estava à espera que eu berra-se. Mas o que eu consegui fazer foi chorar, chorei por ter sido tão estúpida em gritar com ele, chorei porque ele gostava da minha mãe antes de eu entrar na vida dele, chorei porque ele gosta de mim como eu gosto dele.

- Nessie… - disse carinhosamente, embalando-me no seu abraço – Não chores, por favor…

Não sei quanto tempo passou até as lágrimas secarem, eu continuava no seu abraço quando ele voltou a falar:

- Tua vez.

- O que? – Perguntei enquanto limpava as ultimas lágrimas traiçoeiras.

- Tua vez de responder.

- Qual era a pergunta?

- Querias que tivesse acontecido alguma coisa?

As minhas bochechas voltaram a aquecer. Ele levantou a minha cara pelo queixo de maneira a ficar a encara-lo.

- Talvez… - Sussurrei.

-Talvez? Eu acabo de te dizer a coisa mais importante da minha vida, o teu pai vai me arrancar a cauda depois isto. – Sorri – E tu só dizes talvez?

- Só estas a fazer isto para eu me envergonhar, não é? – Ele abriu o maior sorriso de todos.

- Tenho outra coisa a contar - disse diminuindo o sorriso

-Sim… - disse impaciente

- Eu meio que cusquei os teus sonhos no outro dia.

- Jacob! – disse nervosa.

 – Foi sem intenção, nem sabia que estavas a sonhar comigo de uma maneira tão próxima.

- Jacob! – disse sem acreditar, todas as vezes que sonhava com ele era de uma maneira tão… tão… que nunca teria coragem para fazer na realidade. Enterrei a cara nas mãos com vergonha de mim própria.

- Não fiques assim, os meus são muito piores. – pensou – ou melhores, depende do ponto de vista. – olhei-o incrédula. – Estas nos meus sonhos desde que nasceste, as coisas apenas mudaram quando – olhou-me e suspirou – Cresceste.

- Eu continuo crescendo.

- Eu sei, essa é a pior parte. Ainda és nova, eu percebo, eu espero.

- Eu quero! – a confusão apareceu na sua face. – A resposta à tua pergunta, eu ainda quero.

As minha palavras pareceram ordens, de um momento para o outro a minha face estava entre as suas enormes mãos, o nervosismo atingiu-me como uma bala e eu estava a hiperventilar. Ele olhou-me com adoração e aproximou-se lentamente. Os nossos lábios tocaram-se de leve, o que foi apenas a pequena faísca para soltar mos o que à muito estava guardado, toda a amizade, todo o carinho, todo o amor que sentíamos um pelo outro estava ali, presente naquele beijo.

- Amo-te – Sussurrou ainda nos meus lábios.

publicado por Twihistorias às 18:00
Fanfics:

30
Abr 11

Um despertar diferente

 

Acordei quando Jacob me puxava para baixa, de modo a ficar deitada.

- Eu preciso de ir embora – disse sonolenta

- Dorme, eu já liguei à tua mãe, disse que adormeces-te e que ficavas por cá.

Lembrei-me então que eu estava na sua “cama”:

- Onde é que vais dormir?

- Lá fora, agora dorme.

- Não! A cama é tua. Deita aí… – bati com a mão no colchão ao meu lado, enquanto lutava contra os meus próprios olhos.

- Aí vais dormir tu, eu posso dormir lá fora.

- Cabemos aqui os dois! – Visto que ele não se mexia, sentei-me na cama e puxei-o para o sofá. Apesar de estar a dormir, e do Jacob ser quase maior que um cavalo, consegui força-lo a sentar-se lá. – Aí! – afirmei, ele deu-se por vencido e bufou – Tenho de ir à casa de banho…

Lá fui feita zombie para a casa de banho, então decidi tirar as minhas calças para dormir mais confortável. Quando saí da casa de banho ele estava à porta com um T-shirt sua nas mãos:

- Veste isto e vai dormir, parece que vais desmaiar a qualquer momento.

Depois de ter a camisola vestida, cambaleei para a cama enquanto Jacob se apoderava do Wc. Deitada, lutei contra o sono para ter a certeza que ele se deitaria na cama e que não iria dormir na floresta. Minutos depois ele saiu da casa de banho apenas com uns boxers pretos. Fiquei embasbacada a olha-lo.

- Terra para Nessie?!

Senti-me corar e só disse:

- Aqui… - Enquanto apontava para o lado vazio da cama. Ele se deitou e o sono voltou em força.

Acordei cedo pela manhã, Jacob estava bem encostado a mim, com um braço em volta da minha cinta. Adorei da sensação de tê-lo abraçado a mim, mas ele estava a dormir, e foi um acto involuntário. Devagar, para não o acordar, virei-me de frente para ele, no entanto, com o meu movimento, ele resmungou enquanto dormia

- Nessie… amor… não vás… fica… - E, se fosse possível, apertou ainda mais o abraço. Não resisti, beijei-o na testa e ele acordou.

- Ah? Que foi? – perguntou sem perceber como eu estava colada a ele devido ao seu aperto.

- Nada, nada – Olhei para ele nos olhos, mas estávamos tão próximos que não consegui, então foquei-me nos seus lábios. Nossas respirações aceleraram, ficando mais superficiais. A mão nas minhas costa passou para a minha face, acariciando-a.

Os nossos lábios estavam quase a tocar-se, quando Billy entrou na sala.

- Olá Jacob. – disse antes de ter uma visão do sofá. Jacob suspirou e largou-me. – Reneesme?

- Ei Billy! Desculpe, eu ontem acabei por adormecer aqui.

- Sem problema. Desculpem se interrompi qualquer coisa.

- Não, nada.

- Ah… tudo bem - disse enquanto conduzia a sua cadeira para a casa de banho. Depois de ouvir as trancas respirei fundo e disse:

- Tenho de ir para casa. – as minhas faces estavam tão quentes que acho que dava para fritar um ovo. Jacob, apesar do moreno da sua pele, também estava com as bochechas um tanto ou quanto vermelhas.

- Queres que arranje umas roupas da Rachel?

- Por favor.

Ele caminhou em direcção ao que fora o seu quarto, bateu levemente na porta e entrou. Eu sentei-me na beira da cama com as mãos na cara tentando, sem sucesso, fazer esfriá-la um bocado e também a vergonha por ter sido interrompida por Billy.

Como é que vou olhar para a cara do meu melhor amigo outra vez? Bem, só sei que o senhor Edward vai amar esta história, nem sei como ele me deixou dormir aqui, para começar: Eu e Jacob, na mesma cama, agarrados, ele em boxers e eu com a t-shirt dele vestida, Billy a entrar e a ver um quase beijo…

Se há coisas que os filhos não querem que os pais saibam, esta é uma coisa que eu não POSSO contar aos meus.

Jacob saiu do quarto com umas roupas na mão.

- A Rachel diz que estas te devem servir. Eu vou ver se o meu pai precisa de ajuda. – disse um pouco constrangido e sem me olhar nos olhos.

- Ok, eu espero.

Jacob foi ter com o seu pai à casa de banho e Rachel saiu do quarto e veio se sentar ao meu lado.

- O que é que se passou? Estais os dois vermelhos como pimentos.

- Se eu te contar um segredo prometes que não contas a ninguém? Nem mesmo ao Paul?

- Prometo.

- Mas não te posso contar aqui, ele vai ouvir, mas também não posso ir a lugar nenhum assim. – disse apontando para os meus trajes.

- Veste as calças e vamos lá para fora.

publicado por Twihistorias às 18:00
Fanfics:

Dezembro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
13
14

15
16
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

32 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O nosso facebook
facebook.com/twihistorias
Obrigatório visitar
summercullen.blogs.sapo.pt silvercullen.blogs.sapo.pt burymeinyourheart.blogs.sapo.pt debbieoliveiradiary.blogs.sapo.pt midnighthowl.blogs.sapo.pt blog-da-margarida.blogs.sapo.pt unbreakablelove.blogs.sapo.pt dailydreaming.blogs.sapo.pt/ http://twiwords.blogs.sapo.pt/
Contador
Free counter and web stats
blogs SAPO