11
Jul 10

As aulas de Inglês da Miss. Taylor era sempre um pouco chatas, mas tentei ficar concentrada e pensar no facto de à tarde ir ter com Alec, o que realmente ajudou. Nessie estava sentada na carteira ao lado de Jacob por isso nunca achava nenhuma aula chata.

Apesar de Jacob ter 29 anos, continuava com a cara de menino de 16, como quando conheceu a minha mãe.

Nessie e Jacob sempre tornavam as aulas divertidas para eles, mas muito poucas vezes me incluíam na brincadeira. Na escola era o único lugar onde me sentia um pouco sozinha. Sempre me disseram para me dar só com a Nessie e Jacob e nunca alarguei os meus horizontes, nunca falei com nenhum humano sem ser os pais da minha mãe e os meus professores. Muitos colegas meus tinham um grande fascínio por nós, mas nenhum tinha coragem de falar connosco. Alice, Rosalie, Emmett, Edward, e Jasper explicavam que era por parecermos demasiado perfeitos, mas eu achava que eles tinham mesmo medo de nós.

Heath Knight tinha um grande fascínio por mim e Nessie. Nunca consegui bem ver o que pensava ele, mas Jacob dizia que não deveria falar com ele fosse o que fosse. Ele era o típico rapaz de liceu americano. Era o capitão da equipa de futebol, o rapaz por quem todas a raparigas suspiravam, e sim era lindo. Tinha olhos azuis, e o seu cabelo era um dourado cor de sol, um corpo excessivamente cheio de músculos. Não eram características que achasse atraente num rapaz.

Hoje tinha vindo sozinha. Jacob ficou com o resto da alcateia e Nessie preferiu ficar em casa com a avó Esme.

A sexta-feira era o dia que eu mais gostava, na semana inteira de aulas. De manha tinha Espanhol, Inglês, e Historia. Depois das três horas de almoço, que eu usava muitas vezes para fazer de conta que almoçava e depois para passear na floresta ao lado da escola, tinha Clube de Literatura e de Teatro.

Heath andava comigo em todas as aulas menos as de tarde, porque tinha treino de futebol.

No fim da aula de Historia, dirigi-me ao nosso cacifo (meu, da Nessie e do Jacob). Estava completamente desarrumado, como já esperava, cheio das tralhas de Jacob e dos livros de Nessie. Como não estava com paciência para o arrumar de novo pousei os livros, tirei a carteira e dirigi-me à cantina.

Não queria fazer papel de parvinha sentada sozinha numa cantina cheia de pessoas a guardar uma cadeira, para eu me sentar a seu lado, por isso comprei uma sandes e uma Coca-Cola, e fui comer para a floresta.

Enquanto estava na fila, Heath começou a falar comigo, de uma forma natural como se me conhecesse há anos.

-Então hoje a tua Ceita baldou-se? – Disse ele pejorativamente.

-Pois, eles não podiam vir, motivos pessoais. – Retorqui de uma forma um pouco rude, para ver se ele não falava mais.

-Podes comer comigo se quiseres, hoje vou almoçar sozinho.

-Pois, eu prefiro comer sozinha.

-Vá lá, não te custa assim tanto, quer dizer, só um almoço.

-Não. A serio não me estou a sentir lá muito bem, se calhar vou almoçar a casa mesmo. – E em acto contínuo peguei na minha carteira, para sair dali o mais rápido possível. Ele impediu-me segurando-me o braço, com força, que se eu quisesse poderia acabar, mas não o fiz.

-Pronto, calma. Eu calo-me, não precisas de fugir, só te pedi para almoçar, como estavas sozinha. Só estava a tentar ser simpático.

-Pois peço desculpa. Se não almoçares com aqueles gorilas do futebol eu almoço contigo, mas só hoje. – Respondi-lhe tentando desculpar-me pelos actos arrogantes anteriores. – Almoçamos lá fora, esta bem? Num sitio onde ninguém esteja. – Esperava que ele não levasse isto no sentido de eu querer estar sozinha com ele, não queria ser vista só isso.

-Esta bem pode ser lá fora.

Ele acompanhou-me até a umas mesas onde normalmente toda a gente estava nos intervalos, mas durante o almoço estavam completamente desertas.

-Tu, a tua irmã e o namorado dela, são mesmo estranhos. Não se dão com ninguém, só entre vocês e não gostam de ser populares, mas nem se dão conta de que são. – Riu-se, com uma certa ironia.

-Pois nós não gostamos de fazer amigos, por isso é que não queria almoçar contigo. E desculpa mas isto será uma vez sem exemplo, se Jacob sabe, ou a Nessie, eles matam-me.

-Calma, eu juro que não conto a ninguém. Foi só uma vez sem exemplo.

-Obrigado.

-Então, tu e a tua irmã, vocês são mesmo bonitas. Mas não são parecidas nem nada. São gémeas não é?

-Somos sim. – Não lhe dava respostas longas para tentar que ele se calasse, mas nem por isso ele o fez. Os humanos às vezes eram pouco perspicazes. Quase nenhum devia entender quando alguém não queria conversar.

Enquanto Heath tagarelava, senti um cheiro que me era familiar. Mas como estava distante não o consegui distinguir. À medida que se foi aproximando consegui detecta-lo. Estava salva! Era Alec! Sorri de alegria.

Heath olhou para o relógio e sorriu:

-Ainda é cedo. Podemos conversar mais. – Alec saiu de dentro da floresta e veio a correr até chegar perto da mesa. Abrandou quando se chegou à mesa. E sorriu para mim. Trazia a sua guitarra nas costas.

OH MEU DEUS ele tinha-me escrito uma canção!

-Pois receio que isso não seja possível amigo. Fica para a próxima – Disse Alec respondendo à afirmação de Heath.

-Silver, ele é quem?

-Sou o namorado dela. Alec Volturi. – Namorado? Alec Volturi era um nome imponente, não sei como Heath não mostrou medo perante Alec.

-Ah está bom então. Hum, então parece que tenho que ir. Adeus Silver.

-Adeus Heath – Disse eu sorrindo. – Namorado? A serio? Coitado, assustaste-o.

-Não deves falar com humanos Silver. Não voltes a falar com ele. Não gosto dele.

-Ah era só o que me faltava, uma crise de ciúmes. – Sorri – Estas com ciúmes bebé?

-De humanos? Por favor. Anda vamos para a floresta, encontrei uma canção de um cantor que eu gosto para te cantar. – Pegou em mim como se fosse uma princesa e correu para dentro da floresta comigo.

Não demorou muito até chegarmos ao lago, onde ele me sentou numa rocha e em frente a mim começo a cantar:

“You're better then the best
I'm lucky just to linger in your light
Cooler then the flip side of my pillow, that's right
Completely unaware
Nothing can compare to where you send me,
Lets me know that it's ok, yeah it's ok
And the moments where my good times start to fade

 

You make me smile like the sun
Fall out of bed, sing like bird
Dizzy in my head, spin like a record
Crazy on a Sunday night
You make me dance like a fool
Forget how to breathe
Shine like gold, buzz like a bee
Just the thought of you can drive me wild
Ohh, you make me smile

 

Even when you're gone
somehow you come along
Just like a flower poking through sidewalk crack and just like that
You steal away the rain and just like that

 

You make me smile like the sun
Fall out of bed, sing like bird
Dizzy in my head, spin like a record
Crazy on a Sunday night
You make me dance like a fool
Forget how to breathe
Shine like gold, buzz like a bee
Just the thought of you can drive me wild
Ohh, you make me smile

 

Don't know how I lived without you
Cuz every time that I get around you
I see the best of me inside your eyes
You make me smile
You make me dance like a fool
Forget how to breathe
Shine like gold, buzz like a bee
Just the thought of you can drive me wild

 

You make me smile like the sun
Fall out of bed, sing like bird
Dizzy in my head, spin like a record
Crazy on a Sunday night
You make me dance like a fool
Forget how to breathe
Shine like gold, buzz like a bee
Just the thought of you can drive me wild
Ohh, you make me smile”

Não tinha palavras para descrever aquela canção. A canção que ele me tinha cantado naquele momento lindo. Alec era tao romântico.

-Gostaste? Bom, esta canção diz basicamente tudo o que és para mim. Gostava de ter sido eu a escreve-la mas acho que é bonita, na mesma.

-É perfeita. Obrigado.

-Não mereço nada? Nadinha de nada?

-Desculpe Sr. Volturi. Aqui tem o seu beijo. – Muito ao de leve os meus lábios juntaram-se aos seus para se consumirem num beijo momentâneo mas duradouro. Não podia pedir mais. Ele cantava para mim, preocupava-se comigo e salvava-me de humanos. Era simplesmente perfeito. – Alec Volturi tu és perfeito. – Sussurrei-lhe ao ouvido.

-Silver Cullen, tu és linda, maravilhosa, amável, espectacular, e és a minha namorada. – Gritou ele ao vento para que ele o espalhasse por ai. – Que te parece baldares-te as aulas, agora à tarde e irmos passear? Podemos passear aqui mesmo na floresta.

-Parece-me uma boa ideia. É fantástica mesmo. – Vi o seu rosto alegre quando aceitei o convite sem sequer hesitar. Ia ser uma tarde prefeita. A melhor tarde da minha vida.

publicado por Twihistorias às 18:00

CorretorEmoji

Notificações de respostas serão enviadas por e-mail.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Julho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

13
14




mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

32 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O nosso facebook
facebook.com/twihistorias
blogs SAPO