15
Jul 10

Era hoje! Jacob já tinha chegado com os seus mil e um planos para a semana, em que todos iam caçar.

Estava super entusiasmada, mas tentava esconder o meu entusiasmo para que ninguém pensasse que me iria encontrar com Alec todos os dias.

Jacob já tinha dito que nessa noite nos ia levar à reunião dos lobos, para estarmos com a alcateia, por isso tive que cancelar com Alec para esse dia.

Não fiquei nada aborrecida, mesmo sabendo que ele ficaria triste, eu gostava bastante de estar com a alcateia. Gostava de conversar com Sam, cozinhar com Emily, gostava de ouvir as piadas do Quil, do Embry, e do Jared, e adorava quando Paul tentava ser simpático, mas sem sucesso algum. Nessas reuniões aproveitava também para ajudar Leah a ultrapassar o seu trauma, e Seth por vezes ajudava, mesmo estando farto de ouvir Leah a lamentar-se.

Esme tinha-nos aconselhado a ir à escola, mas Jacob e Nessie preferiram ficar por casa e preparar as coisas para a nossa semana.

Eu como seria de esperar, segui o conselho e fui para a escola com o “Stupid Shiny Volvo C30” do pai.

Claro que, como sempre, toda a gente me olhou enquanto saia do carro. Tentei passar despercebida, mas nada feito, quando o capitão de futebol se junta à festa, certo?

No “Forks Elementary School” tudo rodava em volta do estatuto social de cada um. Os humanos eram um pouco parvos, porquê que toda a gente tinha ser rotulada como “popular” ou “falhado”? Enfim, era óbvio que tanto eu como Jacob e Nessie, éramos os “populares insociais” (isso era sequer um estatuto lógico?), todos nos achavam engraçados, bonitos, e misteriosos e por isso todos falavam de nós.

Heath era o “popular social e silly”, claro que ninguém o achava parvinho, afinal de contas ele era o “Heath, o rapaz mais perfeito do mundo” como algumas raparigas das minhas aulas de Calculo, e Biologia se referiam a ele.

Enfim quando duas pessoas deste género se juntam, o que neste caso nem foi juntar foi ele que veio melgar-me a cabeça, não pode dar boa coisa.

-Olá! Estas bem? – Disse Heath afagando o meu cabelo castanho cor de mel. Não gostei do modo que o tocou, quem pensava ele ser para acarinhar o meu cabelo daquele jeito? Talvez Alec não tivesse sido demasiado claro quando se declarou meu namorado à sua frente.

-Olá! – Disse eu, cuspindo as palavras agressivamente. Olhei-o com um tanto quanto de aversão que dizia “porquê que estas aqui, a dizer-me Olá em frente de toda a escola seu parvinho?”

-Que se passa? Porque essa agressividade comigo Silver? – Olhou-me com uns olhinhos de bebé aos quais não me foi difícil resistir, porque ele não era mesmo grande actor. – Tem calma nós podemos resolver isto juntos. – Enquanto a sua boca se abria, e expelia tais palavras, o seu corpo encurralava o meu contra o carro. Claro, e aqueles humanos sem nada que fazer olharem-nos.

-Que fique bem claro que eu, não quero nada contigo. Sai de cima de mim, já! – Berrei-lhe com a fúria evidenciada no meu tom de voz.

-Então, eu sei que é comigo que queres estar, larga o teu namorado atrasado mental e nós pudemos ser felizes juntos, como num conto de fadas. – Ele estava mesmo a passar os limites. Tentei empurra-lo, mas não com muita força, porque não queria que ele voasse. Tentei ao máximo não o magoar mas se ele desse mais um passo eu iria atira-lo pelos ares.

O vento soprou com força naquele momento, e a porta do carro do meu pai abriu-se. O seu cheiro agradável invadiu-me as narinas, deixando-me hipnotizada. Não sei como mas ele sempre estava lá quando eu precisava, que ele estivesse. “Alec Volturi” sussurrou o vento para consigo.

-Não, isso não seria possível caro amigo. Caso nunca tenhas lido contos de fadas, as princesas – e agarrou o meu braço puxando-me para si como se lhe pertencesse. Heath estava vermelho, e envergonhado, diria até com medo. O meu rosto estava inexpressivo, e o meu corpo estava entregue aos braços de Alec, que o acariciavam de um modo carinhoso. Os humanos mais coscuvilheiros como Miley Stanley, a filha de Jessica e de Mike Newton, observavam cada passo da conversa. – Como a Silver, sim meu caro, ela é uma princesa, a minha princesa. As princesas acabam sempre com príncipes, e não com jogadores de futebol débeis mentais. – A multidão de humanos soltou um “oh!” de espanto. Por favor, será que as suas vidas eram assim tão desinteressantes?

-Enfim, o que Alec quer dizer é isto: “voltas-te a aproximar de mim e ficas sem cara.” – Ele ia a abrir a boca para dizer algo, mas eu impedi-o continuando – E não me venhas com “eu estou muito arrependido” porque o Alec vai mesmo fazer-te sentir arrependido.

Alec sorriu, e baixou a cabeça para sussurrar ao meu ouvido: “queres mesmo que o faça sentir arrependido?”

Acenei com a cabeça.

Heath saiu dali com uma rapidez impressionante, e à medida que ele furava a multidão todos se riam na cara dele. Achei piada, aqueles humanos parvinhos quando queriam eram cruéis. Quando campainha tocou todos se dispersaram, e foi cada um para o edifício onde iam ter aulas.

-Então, Sr. Volturi, quer explicar-me o porquê de estar aqui, na minha simples escola?

-Claro, Mrs. Cullen, eu inscrevi-me para me certificar que este palhaço, não te chateia. Peço desculpa querida Silver, mas não achei piada nenhuma como ele te olhou na sexta-feira, e muito menos piada a como se lançou sobre ti hoje, por isso inscrevi-me e assim posso ter debaixo de olho aquele débil mental, e pudemos estar mais tempo juntos.

-Inscreveste-te numa escola cheia de humanos, aquilo que comes todas as semanas? Não me parece boa ideia.

-O que é feito do autocontrole? Eu tenho autocontrole. Não te preocupes, não vou comer ninguém – Riu-se como se fosse uma piada.

-Bom tirando isso, agrada-me que tenhas vindo só para me proteger. O que vais ter agora?

-Vou ter Calculo, com o professor Verne.

-Vamos, eu também vou ter aula com ele agora. – Alec agarrou a minha mão e em poucos minutos chegamos à aula do professor Verne no 3º piso.

Antes de entrar na sala reparei que não estava vestido da maneira que se vestia antes. Já não tinha aquelas camisas com folhos à séc. XVII, usava sim uma t-shirt branca justa, um casaco de couro preto tipo motard, e as suas calças já não eram umas meias calças, mas usava sim umas calças de ganga, e calçava umas sapatilhas normais da Nike como qualquer outro jovem de 17/18 anos.

Um sorriso soltou-se e ele murmurou:

-A Alice disse que ias gostar. – Dei uma gargalhada, é claro que Alice estava envolvida.

-Bem eu gosto. Estas giro, e as lentes de contacto. Hum… Ficam-te bem.

Bati à porta e esperei que o professor Verne viesse abrir, para saber se podia ou não entrar.

Ele não demorou muito e com um grande sorriso recebeu-nos.

-Vejo que traz um novo colega, menina Cullen. – Apressou-se a dizer, curioso com a chegada de Alec.

-Sim é o Alec Volturi, é novo aqui na escola, professor Verne.

-Oh, muito prazer, Mr. Volturi. Turma digam “Olá” ao nosso novo aluno, Alec Volturi, certo?

-Sim certo, professor. – Disse Alec sorrindo, e acenando para a turma, que o saudou com um grande “Olá” e alguns suspiros dos quais não gostei.

-Bom podes tomar o teu lugar à beira da Silver, visto que ela não tem ninguém ao seu lado. – Ofereceu muito gentilmente o Professor Verne.

-Claro seria uma honra. – Agradeceu, e por fim tomamos o nosso lugar no fim da sala.

Miley Stanley, Ashley Yorkie, as filhas dos amigos de liceu da minha mãe, não paravam de olhar para trás, o que me irritava um pouco.

Alec, não lhes ligava e estava muito atento ao que o Professor Verne nos estava a explicar, mas irritavam-me à mesma.

-Tem calma, são só humanas curiosas pelo desconhecido. Não fazes ideia de quantos humanos nesta sala desejavam estar no meu lugar. – O que me interessavam minimamente os humanos que queriam estar sentados ao meu lado?

-Pois, queres apostar 5 dólares, como no fim da aula elas vão completamente fazer-se a ti, mesmo eu estando ao teu lado de mão dada à tua?

-Apostado, nem duas humanas desesperadas fariam isso.

-Elas são meninas para isso, acredita.

A aula de Calculo não demorou muito a passar e eu estava mesmo a ganhar cinco dólares. Alec agarrou a minha mão e saímos ambos pela porta.

As gémeas irritantes saíram e olharam Alec com um olhar insinuante e provocador. Ele não correspondeu, mas elas não desistiram, e logo atacaram à foça toda.

-Olá Alec. – Saudou Miley, com a sua voz estridente, quem sai aos seus não degenera não é verdade? Ele não disse nada, apenas sorriu para ela, que no mesmo instante se derreteu.

A outra gémea irritante apressou-se a perguntar o óbvio:

-Então tu e a Cullen andam, hum? – E revirou os olhos como se não quisesse saber, como se fosse mesmo só curiosidade.

-Pois nós andamos sim. – Respondi-lhe com arrogância.

-é eu e ela somos namorados. – Soltou ele suavemente sorrindo para mim, como se o sorriso dele me fosse acalmar de alguma forma.

-Ah, mas já sabes querido quando ela meter a pata na poça podes ligar para o 235653… – Interrompia antes que acabasse, mas que lata que aquela Miley tinha!

-Pois ele não vai precisar, pois não amorzinho? – E olhei-o nos olhos, o que realmente me acalmou.

Ele que me segurava pela cintura beijou os meus lábios muito ao de leve, e sorriu.

-Não, com certeza não irei precisar. Desculpem meninas mas quem eu amo, é a Silver e acho que isso não irá mudar – Os seus rostos entristeceram o que me deu um certo prazer.

Ele beijou-me de novo para que todos tivessem a certeza que ele me amava, incluindo eu mesma.

Era oficial: Eu estava completamente apaixonada por ele.

-Eu amo-te muito Alec Volturi, sabes? – Sussurrei ao seu ouvido

-Sim, e o vento também sabe agora. – Respondeu ele sorrindo.

 

 

publicado por Twihistorias às 18:00

comentário:
omfg derreti-me toda com este capitulo *_________________*



Li'h a 16 de Julho de 2010 às 20:43

Julho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

13
14




mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

32 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O nosso facebook
facebook.com/twihistorias
blogs SAPO